Manifesto do Amor de Rudá

● PROJETO RUDÁ: ajudamos pessoas a conquistarem a felicidade através do amor, de forma ética, inteligente e tecnologicamente eficiente, sem precisar desperdiçar tempo com pessoas incompatíveis, ou abraçar a solidão como único consolo.

● Por que existimos? No que acreditamos?
Em nossa sociedade cada vez mais plural e dinâmica, vemos demandas cada vez mais complexas e específicas.

Cada indivíduo, grupo ou causa, tem sua maneira de ser e de perseguir seus próprios objetivos.

Mas apesar desse imenso mar de diferenças e pluralidades, existe um porto seguro em comum, para onde os atormentados corações sempre buscam ancorar: a felicidade no amor!

E não poderia ser diferente! Afinal, somos seres sociais por natureza, e além disso, o ser humano que é feliz no amor é capaz de combater os mais terríveis males do século, como a depressão e a solidão, e ainda assim, poder oferecer ao mundo a melhor versão de si mesmo!

A realização existencial através do amor pode ser o caminho mais rápido, seguro e democrático para se chegar à felicidade!

Ou pelo menos, DEVERIA SER.

Infelizmente, ainda hoje, a busca por um relacionamento amoroso saudável e construtivo ainda é um terreno perigoso e rudimentar, no qual aqueles que ousam desbravá-lo, não raras vezes, surpreendem-se negativamente com relações destrutivas e incapazes de entender a personalidade e as necessidades individuais de cada um.

E isso ainda se torna mais problemático com o cenário protagonizado pelos aplicativos e sites de relacionamento atuais: homens e mulheres são cruelmente expostos em verdadeiros "cardápios humanos", como numa triste vitrine, movidos pelos mais aleatórios e perigosos interesses, sem que haja a devida transparência e ética nos objetivos envolvidos.

O resultado não poderia ser outro, senão a banalização dos relacionamentos afetivos e a formação (quando chega a esse ponto) de casais infelizes e disfuncionais.

Parece que cada vez mais o futuro dos relacionamentos bem-aventurados aparenta ser algo desanimador, trágico e ilusório.

Ou pelo menos, ATÉ AGORA.

A ciência e a tecnologia podem, e devem, ser vistas como grandes aliadas em benefício da formação de relacionamentos saudáveis e gratificantes!

Assim, surgiu o Projeto Rudá, um empreendimento visionário que combina Psicologia aplicada, Ciência de Dados e ferramentas computacionais de aprendizado de máquina para combinar pessoas da forma mais harmônica e construtiva possível!

Com Rudá, cada união será harmonizada por meio do mapeamento e da combinação cirúrgica da personalidade e dos interesses pessoais de cada um dos parceiros!

Apesar disso, amar continuará sendo uma atividade espontânea, dinâmica e poética, mas que passará a ter apenas um leve "empurrãozinho" da ciência!

Assim, viver bem e ser feliz, encontrando alguém que nos aceite como somos e nos satisfaça afetivamente, não só é algo cada vez mais desejável, como também plenamente possível!

Além disso, vivenciar os conflitos e conhecer as tribulações do amor sempre será importante, pois nos desafia e faz parte do crescimento individual, mas para isso é necessário estar numa relação valiosa e que faça sentido.

A natureza nos habilitou para sermos infinitamente capazes de amar, o principal problema está na dificuldade de fazermos boas escolhas antes de embarcar numa relação. A partir de agora, Rudá nos permite dispor de um sistema avançado de informação capaz de englobar nossos interesses individuais, compreender nossas preferências estéticas, decifrar nossas inclinações psicológicas e aplicá-las a serviço de nossas necessidades afetivas.

● Existe INTELIGÊNCIA por trás do amor? Mas o amor não se trata de uma EXPERIÊNCIA MÁGICA?

Uma experiência afetiva bem sucedida, em sua fase inicial, envolve fundamentalmente duas coisas:
1) Dispor de boas opções para parceiros em potencial.

2) Ter a capacidade de fazer boas escolhas, com base nas melhores opções ao seu alcance.

Desta forma, a partir destes dois princípios elementares, derivam também os dois grandes problemas atuais:
1) Em geral, nossas opções são limitadas ao nosso círculo social mais imediato. No entanto, mesmo quando recorremos para as atuais ferramentas de redes sociais e sites de relacionamento, ampliamos apenas o alcance numérico de pessoas com quem interagir, sem o amparo das informações que permitam avaliar a qualidade das opções. Portanto, na prática, isto nos deixa estagnados no mesmo lugar, permanecemos anônimos, ignorantes e indiferentes para uma multidão de pessoas estranhas no ambiente virtual.
2) É impossível fazermos boas escolhas quando não temos critério e conhecimento para executar esta tarefa.

Relações amorosas bem sucedidas, quando analisadas de maneira inteligente, apresentam alguns princípios racionais que se repetem sistematicamente e, portanto, teoricamente podem ser estudados e reproduzidos.

Em última análise, uma pessoa inteligente é aquela capaz de fazer boas escolhas diante dos dilemas e conflitos que a vida lhes apresenta. No entanto, escolhas inteligentes demandam critério e conhecimento. No campo da escolha e formação de pares afetivos não poderia ser diferente.

Hoje em dia as pessoas dispõem de uma enorme liberdade para buscar a felicidade no campo do amor, porém essa liberdade quase nunca garante o desejado sucesso, pois não vem acompanhada da sabedoria indispensável para auxiliar o indivíduo ao longo do processo.

E assim, se as pessoas não conhecem os critérios que definem a qualidade da construção de uma relação valiosa e, ao mesmo tempo, tenham uma falsa ilusão de autoconhecimento, elas estarão fadadas a serem mal sucedidas no campo do amor. A única esperança vai residir na sorte. Afinal, nada impede que bilhões de encontros aleatórios ao longo do tempo, espalhados pelo mundo, possam gerar algumas poucas uniões bem sucedidas. De fato, a mercê da triste e passiva aleatoriedade, a prosperidade do amor torna-se um evento bastante raro, que parece fugir inteiramente do nosso alcance, de modo que quando o testemunhamos, alguns acreditam existir alguma magia obscura regulando este fenômeno tão incomum na sociedade.

A ignorância sobre o assunto (isto é, a falta de conhecimento) acaba reproduzindo erros, ilusões e frustrações, por exemplo:
a) algumas pessoas ignoram que a maioria das relações afetivas se sustentam em aparência e vaidade, revestidas por um verniz público de romantismo, mas deterioradas em sua intimidade entre os parceiros.

b) algumas pessoas compram a ilusão de que uma relação duradoura é reflexo de qualidade intrínseca, ignorando que o valor de uma relação não se mede simplesmente pela sua extensão, e sim muito mais pela profundidade da conexão entre o casal.

Essas duas ilusões clássicas fazem a maioria das pessoas pensarem que o “amor verdadeiro” seja mais comum do que ele realmente é. No máximo, o que as pessoas conseguem é extrair pequenos picos de êxtase com base na paixão do início de uma relação, mas ele é transitório, breve e não se repete. O que leva alguns a procurarem experimentar diferentes picos-transitórios-extasiantes-de-paixão em diferentes lugares, esvaziando o significado do amor, trocando o seu genuíno potencial de felicidade, por episódios breves e entorpecedores de prazer.

Dessa forma, quando pensamos na harmonia afetiva de uma relação estável, é necessário que alguns critérios sejam satisfeitos:
1) Sintonia entre o perfil de personalidade das duas pessoas > favorece a boa convivência.

2) Alinhar assuntos e áreas de interesse em comum > ajuda que os parceiros tenham interesse em conversar e fazerem atividades juntos, além de estimular o senso de admiração e importância que um nutre pelo outro.

3) Compatibilizar crenças e valores, o que reflete a forma que cada um enxerga a realidade que os cerca > isso fortalece a cumplicidade e a compreensão entre os dois.

4) Favorecer a satisfação pessoal de atributos estéticos, capazes de despertar atração pela imagem do companheiro > é normal se sentir feliz e confortável ao reconhecer beleza em seu parceiro afetivo (lembrando que “beleza” carrega a sua relevância muito mais da subjetividade do que de convenções sociais).

5) Harmonizar a preferência e rotina sexual entre as duas partes > a maneira que cada pessoa experimenta e expressa a sua sexualidade exerce impacto determinante na sua forma mais básica de buscar prazer numa relação.

Apesar da existência desses princípios, as pessoas fracassam devido ao desalinhamento em praticamente todas essas diversas áreas. Além do mais, cada pessoa tende a atribuir maior e menor valor subjetivo para cada um desses campos. O problema é que a maioria das pessoas simplesmente desconhece cada um desses princípios, o que faz com que as relações se estabeleçam destituídas de qualquer critério, no máximo inspiradas pela atração física e superficial, portanto, tornando-se uma fórmula anunciada para o desastre.


● O que RUDÁ pode fazer para resolver este problema?

RUDÁ será a inteligência por trás do amor, capaz de potencializar a aproximação de duas pessoas que guardem um elevado índice de afinidade entre si.

RUDÁ carrega em sua essência os critérios necessários para avaliar o grau de afinidade entre os usuários de sua rede.

RUDÁ é capaz de fazer as perguntas certas para extrair as informações mais valiosas que permitirão favorecer a combinação entre duas pessoas.

Afinal, basta lembrarmos que o conhecimento que temos sobre nós mesmos é limitado, carece de análise e processamento secundário, de modo a fornecer as informações que nos ajudarão, de fato, a obter o que procuramos. Por exemplo: as pessoas não sabem qual o seu perfil de personalidade, porém, RUDÁ é capaz de fazer as perguntas certas (que o usuário sabe responder) de modo a processar uma valiosa informação (perfil de personalidade) que em geral foge da compreensão das pessoas, mas que para RUDÁ será fundamental na hora de estabelecer a formação de pares potencialmente harmônicos.

RUDÁ conta com uma rede de usuários que, à medida que se torna maior, vai se tornando ainda mais valiosa, pois ele cruza as informações entre TODOS os usuários da rede, de modo a gerar as melhores combinações com base nas informações acumuladas.

RUDÁ aprende e evolui constantemente, à medida que ele interage e colhe feedback dinâmico com os usuários da sua rede de relacionamento, aumentando cada vez mais o seu poder de fazer previsões acertadas na hora de aproximar pessoas.

RUDÁ opera a partir de um avançado e criterioso mecanismo de recomendação, portanto, ele sugere que duas pessoas se conheçam apenas depois de processada a combinação do índice de afinidade mútuo entre ambas as partes. Dessa forma, o mérito de RUDÁ está em descobrir e oferecer uma oportunidade valiosa, cabendo a cada uma das pessoas decidirem até que ponto estarão dispostas a continuar o livre investimento afetivo na outra pessoa.

QUAL O DIFERENCIAL?

● Somos uma Rede Inteligente de Relacionamentos, completamente diferente e incrivelmente superior a tudo o que você conheceu através dos ordinários aplicativos de paquera. A nossa diferença e superioridade pode ser reconhecida a partir de 3 fatores inabaláveis:

1) CONCEITO: trabalhamos com o moderno conceito de amor pós-romântico. Portanto, automaticamente eliminamos 2 tipos de usuários de nossas operações: 1) aqueles que buscam apenas satisfazer interesses puramente egoístas e individuais, em detrimento da outra parte (como, por exemplo, nos casos daqueles que procuram somente um sexo casual de maneira maliciosa e não transparente, iludindo o outro); 2) pessoas que alimentam a fantasia inalcançável de encontrar uma “alma-gêmea”. Atuamos no caminho do meio, onde a realidade é fértil para o amor prosperar de forma inteligente, realista e sadia.

Deste modo, enquanto a maioria das pessoas busca o amor como uma fuga da realidade, nosso usuário é a pessoa que procura no amor uma oportunidade de autoafirmação, aprendizado e crescimento. Em última análise, o membro de nossa rede pretende, no amor, um meio de fortalecimento capaz de lhe permitir suportar melhor a realidade e transformá-la a seu favor.

2) CRITÉRIOS: trabalhamos com critérios altamente elaborados e sensíveis na hora de estabelecer um índice de afinidade capaz de justificar uma combinação funcional entre duas pessoas. Ponderamos a harmonia entre diferentes perfis de personalidade, o alinhamento recíproco de crenças e valores individuais, o ajuste de áreas de interesse comum entre as pessoas, a compatibilidade estética capaz de sustentar razoavelmente a atração mútua entre os pares... Além de atuarmos em outros campos mais específicos, que vão variar de acordo com o perfil de cada usuário.

3) TECNOLOGIA: operamos a partir de uma base de dados robusta, o que nos permite processar informação com elevada sensibilidade, potencializada por aprendizado de máquina (redes neurais artificiais) capaz de maximizar vertiginosamente nossa capacidade de promover o pareamento entre pessoas compatíveis entre si, através de um avançado sistema de recomendação. Em outras palavras, empregamos a ciência e a tecnologia para reproduzir em grande escala a magia do amor. Afinal, não esqueça que “qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível de magia” (Arthur Clarke).


QUAL O PÚBLICO-ALVO?

O objetivo de nossa Rede Inteligente de Relacionamento é reunir pessoas que compartilhem dos mesmos valores no campo conceitual do amor. Portanto, precisamos definir com clareza quais são esses valores, pois os membros da nossa rede não são apenas usuários de uma plataforma, são também, acima de tudo, seguidores de uma corrente filosófica moderna que cultiva o amor esclarecido entre as pessoas, vivenciado de forma ética e praticado com liberdade.

Não temos interesse de trazer para a nossa comunidade pessoas que zombem do amor e desqualifiquem a sua importância, ou que então desrespeitem a liberdade humana de buscar a felicidade num relacionamento de valor.

Buscamos pessoas que encarem a conquista do amor como um exercício de humildade e paciência. Afinal, precisamos admitir que temos muito o que aprender sobre nós mesmos, sobre o que buscamos para ser feliz, além de desvendarmos o universo que representa a individualidade de outra pessoa. Neste sentido, o amor é uma poderosa ferramenta pedagógica de autoconhecimento e sabedoria.

Valorizamos pessoas que entendam que amar exige esforço e disciplina para buscar conhecimento, pois se trata de uma arte espiritual que demanda aprendizado e aprimoramento contínuo. Ter acesso a boas oportunidades para iniciar uma relação primorosa é algo imprescindível e valiosíssimo, mas a pessoa precisa estar consciente de que este é apenas o primeiro passo de uma jornada árdua e ao mesmo tempo recompensadora.

Acolhemos a pluralidade do amor, mas evitamos veementemente as suas distorções ordinárias, isto é, atitudes voltadas egoisticamente a enganar e manipular terceiros.

Rompemos com a tradição milenar do “amor romântico” e cultivamos uma vertente nova e pós-romântica do amor, pela qual se compreende, resumidamente, que as relações afetivas devem ser encaradas como um encontro entre indivíduos que, embora inevitavelmente diferentes e autônomos entre si, conjugam suas distinções de maneira saudável e edificante, a ponto de gerar crescimento individual e prosperidade recíproca para os parceiros envolvidos, criando a potencialidade para se tornarem pessoas ainda melhores.

RUDÁ é direcionado ao mesmo tempo para dois perfis de pessoas:
1) Aqueles que já utilizaram aplicativos de paquera, mas sempre os acharam terrivelmente problemáticos e, portanto, ansiavam por uma solução muito superior; incomparavelmente superior.
2) Pessoas que nunca experimentaram utilizar com seriedade os aplicativos de paquera disponíveis, porque sempre os acharam terrivelmente problemáticos e, portanto, ansiavam por uma solução muito superior; incomparavelmente superior.